O Médico Veterinário de Animais Selvagens


Você está em - Home - Noticias - O Médico Veterinário de Animais Selvagens

O MÉDICO VETERINÁRIO DE ANIMAIS SELVAGENS


     A medicina veterinária é a ciência biológica aplicada à saúde animal, com desdobramentos na saúde humana. Com efeito, dividimo-la em duas grandes áreas, a clínica animal em todas as suas modalidades e a produção animal, e sua interferência na saúde e na economia humana. Incidindo sobre as duas áreas, numa importantíssima intersecção, está o meio ambiente. Neste ínterim, o médico veterinário de animais selvagens executa seu mister de forma preponderante. Seu rol de atuação dentro da conservação da fauna ocorre ex-situ, nos zoológicos, aquários, criadouros, centros de reabilitação, como in situ, desenvolvendo e participando de projetos na natureza onde o fator doença ou a contenção farmacológica se fazem necessários, como nos processos de translocação de fauna. Sua ação vida impedir que enfermidades de natureza infecciosa ou infecto-contagiosa possam veicular entre os animais, protegendo a vida individual e coletiva, impedindo a propagação de agentes patogênicos no meio ambiente, zelando pelo bem-estar e pela ética na manutenção de fauna; impedindo que enfermidades de caráter zoonótico possam ser transmitidas às pessoas nos empreendimentos de fauna (técnicos, tratadores e ao público visitante) e por fim, salvaguardar a perenidade dos serviços públicos, impedindo ações judiciais trabalhistas devido manipulações insalubres de funcionários que ficam adequadamente protegidas por um sistema de medidas sanitárias protegendo o administrador e o erário público. Para a avaliação de ações e tomada de medidas mitigatórias é fundamental a identificação dos riscos biológicos mais prováveis, em função do possível táxon envolvido, considerando: fontes de exposição e reservatórios; vias de transmissão e de entrada; transmissibilidade, patogenicidade e virulência do agente; persistência do agente biológico no ambiente e estudos epidemiológicos ou dados estatísticos.
       Médicos veterinários de selvagens podem ainda participar de comitês e planos de manejo (ex-situ e in-situ) de espécies potencialmente ameaçadas, atuando não somente mitigando os riscos de enfermidades por propagação de agentes biológicos, mas também exercendo seu mister na proliferação dos animais, utilizando biotécnicas de reprodução, como inseminação artificial, fecundação in vitro, etc.
        Ao expor sua área de atuação, desejamos, desta forma, não somente enaltecer suas responsabilidades inerentes à fauna, mas com a própria saúde dos ecossistemas e dos biomas, aonde a saúde humana está também inserida. Lembremo-nos do comportamento ético que deve permear toda a nossa atuação, nossas relações com os colegas e da necessidade de criarmos mecanismos salutares de comunicação, de edificação da nobre profissão, com vistas à educação continuada, para a própria evolução e perenidade da medicina de animais selvagens no nosso país.
      A Associação Brasileira de Médicos Veterinários de Animais Selvagens se engalana e congratula os colegas médicos veterinários pelo dia 09 de setembro. Desejamos que nossas relações com os colegas sejam as mais respeitosas e profícuas possíveis.



Texto de Gustavo Dutro
Primeiro Secretário 
Gestão 2015-2017